Bodas de Ouro Sacerdotais de D. Vitalino Dantas

alt

Santuário do Sameiro - Braga

03. Agosto 1968 | 03. Agosto. 2018

Parada de Gatim - Vila Verde (Braga)

04. Agosto.1968 | 05. Agosto. 2018


António Vitalino Fernandes Dantas nasceu em Santa Marinha de Oleiros, Vila Verde, Arqui­diocese de Braga), a 3 de Novembro de 1941.

Filho de Manuel da Silva Dantas e de Rosa Augusta Fernandes.

Aos 5 anos foi residir para Parada de Gatim, também do concelho de Vila Verde.

Entrou no Seminário Carmelita da Falperra em 1957.

Fez o Noviciado em Longra-Douro (Felgueiras) em 1960 / 61; a Profissão Simples, em 8 de Setembro de 1961 e a Solene, em 10 de Julho de 1965.

Iniciou os estudos de Filosofia e Teologia no Instituto "Sedes Sapientiae" dos Padres Domini­canos, em Fátima, de 1961 a 1966 e terminou-os na Universidade de Mogúncia, Alemanha, que frequentou a partir de 1966.

Recebeu a ordenação sacerdotal a 3 de Agosto de 1968, no Santuário do Sameiro, Braga, das mãos de D. António Ribeiro.

Continuou os estudos nas universidades de Mogúncia e de Friburgo, na Alemanha, ocupan­do-se, simultaneamente, na pastoral dos emigrantes.

Regressou a Portugal em 1966, onde exerceu diversos cargos na Ordem do Carmo em Por­tugal, à que pertence.

Foi pároco de Santo António dos Cavaleiros e Frielas de 1977 a 1984.

Bispo Auxiliar do Patriarcado de Lisboa, nomeado a 3 de Julho de 1996, com o título de Tlós, na Turquia, e ordenado a 29 de Setembro de 1996, na igreja dos Jerónimos, pelo Cardeal Patriarca de Lisboa, D. António Ribeiro.

Anteriormente, a nível diocesano, foi membro do Conselho Pastoral Diocesano e Consultor eclesiástico do Secretariado Executivo da Comissão Nacional das Comemorações dos 5 Sécu­los de Evangelização e Encontro de Culturas Reitor da Igreja de Nossa Senhora da Conceição, no Largo do Rato, em Lisboa.

Em 25 de Janeiro de 1999 foi nomeado bispo de Beja, tendo tomado 11de Abril de 1999.

Ao atingir os 75 anos de idade, como prescrito nas leis da Igreja, apresentou a Sua Santidade o Papa Francisco o seu pedido de resignação, que lhe foi concedido.

Pode ver mais em: https://www.youtube.com/watch?v=VMQUagCnAac

 

Caminhos Carmelitas

  • 13
    Dia 13! Que sorte porque é dia, que azar porque é dia 13; que sorte porque não é sexta-feira, que azar por já ser sábado ou por estar ou não a chover. Curioso… À medida que a fé vai perdendo...
  • 28º Domingo do Tempo Comum – Ano A
    Deus prepara o seu banquete para todos Na parábola do banquete nupcial descrita pelo evangelista São Mateus neste 28º Domingo do Tempo Comum (Ano A) Jesus traça o projecto que Deus concebeu para a...
  • A oração de Elias
    Retomamos o tema da oração na vida de algumas figuras bíblicas, contemplando hoje a oração de Elias. O profeta é exemplo de todas as pessoas de fé, que, não obstante tentações, desânimos e...
  • Jesus, pacifica-me
    Jesus, como é difícil conter aquilo que me vem ao pensamento e que me controla, enredando-me num torvelinho de sentimentos do passado, de medos do futuro, de preocupações sobre aquilo que...
  • 27º Domingo do Tempo Comum – Ano A
    Quando vier o dono da vinha, que fará àqueles vinhateiros? Jesus, prevendo a sua paixão e morte, relata a parábola dos vinhateiros homicidas, para admoestar os chefes dos sacerdotes e os anciãos do...
  • A cruz
    Assim, o compromisso de “tomar a cruz” torna-se participação com Cristo na salvação do mundo. Pensando nisto, façamos com que a cruz pendurada na parede de casa, ou a pequena que usamos ao peito,...

Santos Carmelitas